Estado Islâmico reivindica autoria de atentado no Sinai

"Soldados do califado" lançaram um ataque "com carros-bomba contra um posto de controle policial", segundo um comunicado da Província do Sinai

O braço egípcio do grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta terça-feira o atentado em que morreram sete policiais e um pedestre na segunda-feira em Al Arish, cidade costeira do norte da península do Sinai.

“Soldados do califado” lançaram um ataque “com carros-bomba contra um posto de controle policial”, segundo um comunicado da Província do Sinai, braço egípcio da organização extremista EI.

O ministério do Interior egípcio tinha informado na segunda-feira que os atacantes, enquanto disparavam granadas, tentaram dirigir o caminhão até o posto de controle, mas a polícia abriu fogo e a explosão se deu antes de atingir seu objetivo.

O ministério informou, ainda, que além dos sete policiais e do pedestre, cinco atacantes perderam a vida.