Estado Islâmico decapita membros de tribo sunita

Os jihadistas decapitaram 4 membros de tribo sunita, vítima de massacre em agosto

Beirute – Os jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI) decapitaram no leste da Síria quatro membros da tribo sunita dos Shaitat, vítima em agosto de um massacre nas mãos do grupo extremista, relatou nesta segunda-feira uma ONG.

“O EI decapitou no domingo quatro homens da tribo Shaitat na cidade de Bukamal, na província de Deir Ezzor, acusando-os diante de uma multidão para assistir a execução de colaboração com o regime” de Bashar al-Assad, afirmou à AFP Rami Abdel Rahmane, diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Bukamal, na fronteira com o Iraque, é uma das principais cidades sob controle do EI, que domina grande parte do leste sírio, onde impõe sua interpretação extremista do islã sunita.

Os Shaitat é uma importante tribo sunita de Deir Ezzor que tentou durante o verão se rebelar contra o EI nesta região rica em petróleo.

No entanto, durante as primeiras semanas de agosto, mais de 700 membros desta tribo foram massacrados pelo grupo jihadista, em sua grande maioria civis.

A tribo se revoltou no final de julho contra o EI após a ruptura de um acordo de não agressão entre as duas partes.

Desde o seu surgimento em 2013, em pleno conflito sírio, o EI combate em várias frentes – o regime, os rebeldes, os curdos – e não hesita em decapitar e até mesmo crucificar seus inimigos.