Dólar R$ 3,27 -0,31%
Euro R$ 3,65 -0,49%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,60% 62.662 pts
Pontos 62.662
Variação 1,60%
Maior Alta 9,53% JBSS3
Maior Baixa -1,42% EMBR3
Última atualização 23/05/2017 - 17:20 FONTE

Estado de urgência na França vai até 15 de julho, após eleições

Esta foi a 5ª prorrogação aprovada pelo Senado desde os atentados de 13 de novembro de 2015, em Paris e em seus arredores, que deixaram 130 mortos

O estado de urgência foi prorrogado na França, nesta quinta-feira (15), e vai até 15 de julho de 2017, após as eleições presidencial e legislativas, em razão de uma ameaça terrorista “sem precedentes”.

Esta foi a quinta prorrogação aprovada pelo Senado francês desde os atentados de 13 de novembro de 2015, em Paris e em seus arredores, que deixaram 130 mortos.

A medida já havia sido aprovada pela Assembleia Nacional há alguns dias.

Os dois turnos da eleição presidencial acontecem em 23 de abril e em 7 de maio de 2017 e, no caso das legislativas, serão em 11 e 18 de junho.

“O intenso período eleitoral, no qual entramos, aumenta ainda mais o risco de os terroristas passarem à ação”, advertiu o ministro francês do Interior, Bruno Le Roux.

“A ameaça não baixou de intensidade, e cometeríamos um grave erro, se baixássemos a guarda”, defendeu, lembrando que, desde a última prorrogação do estado de urgência, em julho passado, 13 tentativas de atentado foram desmanteladas.

Com isso, a França viverá seu mais longo período de estado de urgência ininterrupto – 20 meses – desde a criação desse regime de exceção em 1955, durante a guerra da Argélia.

Decretada pelo presidente francês, François Hollande, em 13 de novembro de 2015, a medida já havia sido estendida quatro vezes – uma delas, após o atentado de 14 de julho, em Nice, no qual 86 pessoas morreram.

Com isso, estão permitidas batidas em residências, inquéritos administrativos, proibição de manifestações, verificação de identidade, revista de bagagens e de veículos e fechamento de locais de reunião e assembleia.