Especulações sobre tentativa de matar líder norte-coreano

Um policial recebeu uma medalha por resgatar Kim Jong-Un de um acidente de trânsito, que na verdade poderia ser uma tentativa de assassinato

Seul – A entrega da medalha ao mérito a uma policial de trânsito norte-coreana alimenta as especulações da imprensa sul-coreana sobre uma possível tentativa de assassinato do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un.

Algumas informações destacam que a policial Ri Kyong-Sim resgatou Kim de um acidente de trânsito, que na verdade poderia ser uma tentativa de assassinato.

No dia 5 de maio, a agência oficial de notícias KCNA informou em uma breve nota que Ri foi condecorada com a medalha “Herói da República”.

“Ri demonstrou o heróico espírito de sacrifício de proteger a segurança da sede da revolução em uma situação inesperada”, afirmava o texto, sem revelar detalhes.

A expressão “sede da revolução” geralmente é utilizada como referência ao líder supremo do país, Kim Jong-Un.

O título de “Herói da República” está reservado normalmente a ações de época de guerra, mas também é atribuído a indivíduos que realizaram uma grande contribuição ao avanço do país.

Nos últimos meses, muitos cientistas e técnicos envolvidos no lançamento do foguete de longo alcance norte-coreano em dezembro e no teste nuclear de fevereiro receberam a condecoração.


Park Kun-Ha, secretária-geral do NK Intellectuals Solidarity, um grupo desertor da Coreia do Norte, afirmou que é muito raro que um prêmio de tanto prestígio seja entregue a uma funcionária de baixa patente.

“Suspeito que poderia estar relacionado com uma tentativa de assassinato disfarçada de acidente de trânsito”, disse Park à AFP.

As especulações de que Kim Jong-Un estava envolvido de alguma maneira foram alimentadas pelas informações da imprensa estatal após a nota inicial da KCNA.

“A ação da camarada Ri não foi uma casualidade, foi possível porque sempre teve dia e noite este desejo pelo respeitado líder”, afirmou o superior da policial em uma entrevista à televisão estatal.

A professora de Ri afirmou que “ela sempre foi uma pessoa responsável e isto explica como conseguiu realizar uma façanha tão heróica pelo cérebros de nossa revolução”.

A televisão estatal exibiu imagens de centenas de soldados e policiais de trânsito presentes na cerimônia de condecoração, durante a qual Ri chorou de maneira incontrolada.

“Não poderia estar mais agradecida pela misericórdia mostrada por nosso respeitado líder ao recompensar-me com esta alta honra”, disse.

As pessoas aplaudiram quando a policial depositou flores diante das estátuas de Kim Il-Sung e Kim Jong-Il, respectivamente avô e pai do atual líder.