Espanha aprova novas medidas para tentar reduzir déficit

Entre as metas aprovadas estão o incentivo à compra de casas, a racionalização da despesa farmacêutica e a reforma do imposto de sociedades

Madri – O governo espanhol aprovou nesta sexta-feira uma série de novas medidas para tentar reduzir o déficit público, entre elas uma para incentivar a compra de casas, a racionalização da despesa farmacêutica e uma reforma do imposto de sociedades.

O Conselho de Ministros decidiu diminuir de 8% para 4% o Imposto sobre Valor Agregado (IVA) para a aquisição de moradias nas operações realizadas até 31 de dezembro, informou o porta-voz do Governo, José Blanco.

Em entrevista coletiva posterior à reunião do Governo, Blanco explicou que se trata de uma medida “excepcional e temporária” que pretende dar saída ao excedente de imóveis prontos que não são vendidos, além de contribuir para a geração de empregos no setor.

O governo também aprovou uma reforma para reduzir a despesa farmacêutica, obrigando os médicos a prescreverem remédios por seu princípio ativo e não pela marca.

O decreto-lei aprovado inclui ainda uma modificação no imposto de sociedades que afetará cerca de 4 mil das maiores companhias do país.

A ministra das Finanças espanhola, Elena Salgado, explicou que será uma medida temporária que será aplicada em 2011, 2012 e 2013.

Com as novas medidas, o Governo de José Luis Rodríguez Zapatero busca economizar 5 bilhões de euros, em um momento em que o país se encontra imerso em uma grave crise da dívida soberana e do euro.

O porta-voz do Governo reconheceu que “vai levar tempo para reduzir a tensão dos mercados, pois o contexto internacional não é fácil”.