Em meio a escândalo, presidente alemão diz querer permanecer no cargo

Christian Wulff é acusado de ter recebido empréstimos suspeitos de empresários

Berlim – O presidente da Alemanha, Christian Wulff, um aliado da chanceler Angela Merkel, declarou nesta quarta-feira que deseja permanecer no cargo, apesar de estar envolvido num escândalo de crédito vantajoso obtido de ricos empresários.

“Assumo plenamente minha função pelos cinco anos de meu mandato”, disse o presidente em entrevista à rede de televisão pública, num momento em que se acentuam as pressões, iniciadas há 48 horas, para que se demita.

O presidente, uma figura simbólica, mas dotada de autoridade moral, está sob pressão desde que em dezembro a imprensa revelou uma informação sobre um empréstimo muito vantajoso que obteve de empresários.

Na terça-feira, o caso se complicou quando o jornal popular Bild, que conta com 12 milhões de leitores, afirmou ter sofrido tentativas de intimidação de Wulff para que a informação não fosse divulgada.