EI reivindica atentado que matou 64 em mercado de Bagdá

O atentado teve como alvo um grupo de combatentes da milícia xiita Multidão Popular

Cairo – O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) assumiu nesta quarta-feira a autoria do atentado com carro-bomba que matou 64 pessoas perto de um mercado do bairro de maioria xiita de Cidade de Sadr, no leste de Bagdá.

A agência de notícias “Amaq”, vinculada ao EI, informou que o grupo realizou “uma operação de martírio”, como definem os ataques suicidas, na Cidade de Sadr.

O atentado teve como alvo um grupo de combatentes da milícia xiita Multidão Popular, segundo a “Amaq”, que afirmou que houve 70 mortos e dezenas de feridos.

Uma fonte da polícia iraquiana consultada pela Agência Efe indicou que o balanço final é de 64 mortos e 87 feridos.

A explosão causou também grandes danos materiais em imóveis e veículos de Cidade de Sadr, onde vivem muitos seguidores do destacado clérigo xiita Moqtada al-Sadr, que apoia a Multidão Popular.

Em fevereiro, 55 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas em um duplo atentado suicida nesse distrito de Bagdá, cuja autoria foi assumida pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

O EI também reivindicou o ataque com carro-bomba que há dois dias matou 11 mortos e feriu 40 em um mercado perto da cidade de Baquba, ao nordeste de Bagdá.

As tropas iraquianas, com o apoio de milícias xiitas, enfrentam o EI desde junho de 2014, quando o grupo declarou um califado nos territórios sob seu controle no Iraque e na Síria.