Egito quer nova capital administrativa e financeira

O Egito revelou sua intenção de construir a leste do Cairo uma nova capital administrativa e financeira, onde viverão cerca de cinco milhões de pessoas

O Egito revelou nesta sexta-feira sua intenção de construir a leste do Cairo uma nova capital administrativa e financeira, onde viverão cerca de cinco milhões de pessoas.

O ministro da Habitação, Mustafa Kamal Madbuli, apresentou o projeto na conferência econômica internacional que começou nesta sexta-feira em Sharm el Sheij.

A cidade será construída em um perímetro de 700 quilômetros quadrados situado entre o Cairo e Suez. A área escolhida é “12 vezes maior do que Manhattan, três vezes maior do que Washington”, afirmou Madbuli.

“A ideia de construir a nova cidade nasceu das estimativas segundo as quais a população do Cairo (18 milhões de habitantes) se duplicará nos próximos 40 anos”, explicou o ministro.

“O Parlamento, o palácio presidencial, os ministérios e as embaixadas estrangeiras serão transferidos do Cairo para essa nova cidade”, disse Madbuli, que acrescentou que a primeira fase do projeto será nos próximos cinco a sete anos e custará 45 bilhões de dólares.

“A ideia é criar uma cidade internacional (…) que ofereça múltiplas oportunidades econômicas e qualidade de vida”, diz o site do projeto.

O presidente egípcio Abdel Fatah al Sissi espera que os investidores presentes em Sharm el Sheij ajudem na recuperação econômica do país.

Nesta sexta-feira, Arábia Saudita, Kuwait e Emiratos Árabes Unidos anunciaram ajudas e investimentos para o Egito no total de 12 bilhões de dólares.