Egito detém quatro suspeitos após atentado em igreja

Segundo o presidente egípcio, "Três homens e uma mulher foram detidos e outras duas pessoas ainda estão sendo procuradas"

O presidente egípcio, Abdel Fatah al-Sissi, anunciou nesta segunda-feira a detenção de quatro suspeitos de um atentado ocorrido no domingo contra uma igreja copta do Cairo, que deixou 24 mortos.

O autor do atentado foi um suicida que usava um cinturão de explosivos, acrescentou o presidente egípcio durante o funeral das vítimas.

“Três homens e uma mulher (suspeitos de envolvimento no atentado) foram detidos e outras duas pessoas ainda estão sendo procuradas”, disse o presidente.

“O autor do atentado é Mahmud Chafiq Mohamed Mostafa, tinha 22 anos e detonou seu cinturão de explosivos, não era uma bomba”, acrescentou.

Sissi também disse que “a polícia passou a noite juntando as partes do corpo do suicida e identificando-o”.

“É um golpe que nos feriu, mas que não vai nos destruir”, acrescentou diante de dignitários civis e religiosos, coptas e muçulmanos.

Os coptas do Egito realizavam nesta segunda-feira o funeral das 24 pessoas mortas na véspera no atentado na igreja São Pedro e São Paulo do Cairo.

Várias centenas de fiéis se reuniram na igreja da Virgem Maria.

O patriarca Teodoro II, chefe da Igreja copta ortodoxa, classificou o atentado de “golpe no coração do Egito”.

A explosão foi registrada na manhã de domingo dentro da igreja, ao lado da catedral copta de São Marcos, sede de Teodoro II.

A comunidade copta egípcia não havia vivido um atentado tão mortífero desde o ataque suicida que deixou mais de 20 mortos em 1º de janeiro de 2011 na saída de uma igreja de Alexandria.