Dirigente dos trabalhistas israelenses pede dissolução do governo

O novo chefe da oposição de Israel exige a dissolução do atual governo por investigações sobre supostos casos de corrupção

Jerusalém – O novo chefe da oposição de Israel e líder do Partido Trabalhista, Avi Gabay, se somou a uma manifestação que exigiu a dissolução do atual governo dirigido pelo primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu, por causa das investigações sobre supostos casos de corrupção nas quais está envolvido.

Perto de mil pessoas, incluindo Gabay, participaram ontem à noite em um protesto que acontece todo sábado em frente à residência do promotor geral, Avijai Mandelblit, para pedir o fim do governo de coalizão, informou hoje a rádio israelense “Kan”.

“Vim para apoiar os bons israelenses que votaram por todos os partidos e não querem corrupção. Nem corrupção pessoal nem pública”, assegurou Gabay em palavras publicadas pelo jornal “Ynet”.

Gabay disse que o premiê “recebeu centenas de milhares de shékeles em presentes, não há disputa sobre isso”, pelo que pediu a Mandelblit para “tomar uma decisão e dissolver o Governo”.

O premiê israelense foi interrogado quatro vezes desde janeiro em dois processos nos quais é suspeito de corrupção e tráfico de influências.