Deputada pede aulas de igualdade de gênero para refugiados

Segundo a deputada britânica, os refugiados homens recém-chegados ao Reino Unido necessitam de uma introdução "sensível" para poder se adaptar

Londres – Uma deputada trabalhista pediu ao governo britânico a promoção de aulas sobre igualdade de gênero entre os refugiados homens que chegam ao Reino Unido a fim de facilitar sua integração no país.

Em declarações divulgadas nesta segunda-feira pelo jornal “Daily Telegraph”, Thangam Debbonaire, que preside o grupo parlamentar multilateral para os refugiados, se mostrou a favor da implementação de uma “estratégia de integração” para este coletivo, destinada a melhorar a atitude dos homens de outras culturas com as mulheres.

Segundo a deputada pela circunscrição de Bristol West, os refugiados homens recém-chegados ao Reino Unido necessitam de uma introdução “sensível” para poder se adaptar a uma cultura diferente.

A citada “estratégia” ajudaria estes refugiados com direito legal a permanecer neste país a fazer parte das comunidades nas quais se integram, de acordo com o parlamentar.

A medida incluiria, além disso, a preparação destas pessoas para buscar emprego no Reino Unido, para se adaptar ao novo estilo de vida e para aprender as expectativas que recaem sobre eles quanto a comportamento, especialmente entre as mulheres.

Debbonaire afirmou que, desta maneira, contribuiria para erradicar os “temores” suscitados neste país a possíveis agressões sexuais contra mulheres por parte de imigrantes, similares às ocorridas na Alemanha durante a noite de fim de ano.

“O que não quero é que os britânicos respondam a casos de assédio ou agressão sexual dizendo ‘não’ à chegada de mais refugiados”, raciocinou esta política, que acaba de iniciar uma investigação sobre as experiências deste coletivo no Reino Unido.

A deputada advogou por tentar buscar a maneira de “fazer com que esses homens compreendam o que se espera deles” quando se integram no Reino Unido.

“É preciso buscar a forma de uma maneira sensível, e poderia fazer parte de uma campanha em nível nacional para ajudar homens e crianças em geral a contemplar a igualdade de gênero de uma forma diferente”, disse.

Para Debbonaire essas “aulas” poderiam ser introduzidas de maneira obrigatória nos colégios “para todos os jovens” e incorporar “uma versão apropriada para os recém-chegados”.

Esta iniciativa surge depois que o eurodeputado Nigel Farage -ex-líder do eurofóbico partido UKIP- fora muito criticado durante a campanha prévia ao referendo sobre a permanência do país na União Europeia, por ter dito que as mulheres poderiam correr o risco de sofrer agressões sexuais por parte de imigrantes.