Cruz Vermelha recebe garantias para operação na Ucrânia

Comitê da Cruz Vermelha enviou uma equipe ao leste ucraniano, após receber garantias de segurança para colaborar em entrega de ajuda humanitária

Genebra – O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) enviou uma equipe ao leste da Ucrânia após receber as garantias de segurança que esperava para participar da entrega da ajuda humanitária enviada pela Rússia.

“Uma equipe cruzou o leste da Ucrânia nesta manhã, recebendo as garantias de segurança para esta missão. A equipe está supervisionando as condições no caminho e a situação em geral”, informaram fontes da organização.

Os delegados do CICV estão estabelecendo contatos relacionados com a passagem do comboio russo, composto por mais de 260 caminhões que transportam mais de duas mil toneladas de ajuda em alimentos, água e outros artigos essenciais.

O comboio partiu de Moscou há oito dias e há seis se encontra a poucos quilômetros da fronteira com a Ucrânia, na região de Rostov, esperando que Moscou e Kiev resolvam seus múltiplos desacordos em relação com esta operação humanitária.

Uma das condição da Ucrânia foi que o CICV assuma a responsabilidade da carga uma vez em seu território.

Em intensas negociações de responsáveis da organização humanitária com os governos da Rússia e Ucrânia foi acordado nos últimos dias que em cada caminhão com direção à região de Lugansk haverá um representante do CICV.

A cidade de Lugansk -cerca de 70 quilômetros da fronteira- foi nos últimos meses junto com a de Donetsk, o lugar onde se assentaram as milícias separatistas pró-russas, que chegaram a tomar o controle de ambas regiões.

Os combates entre esses grupos armados e as forças governamentais aumentaram ali ultimamente.

A cidade, onde calcula-se que ainda há mais de 200 mil habitantes de uma população de cerca de 450 mil antes do conflito, leva algumas semanas assediada, e o povo carece dos serviços mais básicos, incluindo água, enquanto os alimentos também ficam escassos.

Está previsto que os caminhões russos entrem em grupos de 30 na Ucrânia, após ser inspecionados conjuntamente por agentes de fronteiras e de alfândegas.

“O CICV observará o processo de inspeção aduaneira do comboio russo uma vez que comece”, indicaram as fontes da organização.

A participação plena da organização nesta operação de ajuda aos civis atingidos pelo conflito do leste da Ucrânia segue dependendo, no entanto, da avaliação realizada pelo grupo que foi enviado hoje e que deve verificar que, com efeito, existem as condições mínimas de segurança para seus delegados.

O CICV não aceita, a princípio, escoltas armadas, por isso que depende quase totalmente das garantias de que pede as partes beligerantes respeitarão a integridade de seu pessoal e veículos.

A dificuldade, nestas circunstâncias, foi obter garantias confiáveis das milícias, que segundo a Ucrânia são dirigidas por Moscou, que por sua vez nega seu envolvimento na rebelião separatista.

O conflito na zona oriental da Ucrânia fez com que 155 mil pessoas se transformassem em deslocados internos e que 733 mil fujissem para a Rússia, segundo algumas fontes.

As vítimas mortais do conflito já chegam, até o momento, a 2.119, além de cinco mil feridos.