Corrupção: Dilma passa a semana fazendo despachos (e não é umbanda)

"Faxina" nos ministérios bem que poderia ter a ajuda dos deuses

São Paulo* – Antes de recorrermos à sabedoria do lexicógrafo Antônio Houaiss, devemos informar que o único compromisso da presidente Dilma Rousseff nesta sexta-feira (22) é despacho interno.

Para quem passou a semana despachando corruptos do Ministério dos Transportes, chega a ser irônica, inusitada e até simbólica a agenda divulgada pela Presidência da República.

Vejamos, então, alguns significados para o substantivo “despacho” e para o verbo “despachar” no dicionário Houaiss.

Despacho é resolução, decisão de autoridade pública aposta em documentos como petições, requerimentos etc., deferindo ou indeferindo. (naturalmente, é a esse sentido que a agenda da presidente se refere)

Despacho é procedimento rápido. (até que a ação da presidente Dilma nos episódios de corrupção no Ministério dos Transportes tem sido célere)

Despacho é censura áspera; sabão, descompostura, reprimenda. (Dilma mandou recado ao PR e demais partidos envolvidos nos escândalos)

Despachar é mandar embora; despedir, dispensar. (15 integrantes do Ministério dos Transportes no olho da rua. Haverá outros?)

Despacho é na umbanda, no catimbó ou em alguns candomblés de caboclo, ação de depositar em um lugar determinado, como encruzilhada, cachoeira e mata, uma oferenda a Exu, para que este faça mal a alguém; ebó. (Dilma promete uma faxina geral em todos os ministérios. Não seria má ideia pedir ajuda aos deuses ou, pelo menos, tomar um banho de sal grosso)

* A Presidência da República alterou a agenda às 12h43, incluindo dois novos compromissos no período da tarde