Corpo de Itamar Franco é cremado em Minas Gerais

Cinzas do ex-presidente serão entregues hoje à família e, a pedido de Itamar, depositadas no túmulo de sua mãe, Itália Cautier, em Juiz de Fora

São Paulo – Com honras de chefe de Estado, o corpo do senador Itamar Franco foi cremado no fim da tarde de ontem em cerimônia reservada a familiares e amigos mais próximos no Cemitério Parque Renascer, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). Durante o dia, o corpo do ex-presidente foi velado no salão nobre do Palácio da Liberdade, antiga sede do governo mineiro, com a presença da presidente Dilma Rousseff e dezenas de personalidades de diferentes correntes dos cenários políticos nacional e mineiro.

Uma multidão de cerca de 4,5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, foi ao local se despedir de Itamar. As cinzas do ex-presidente serão entregues hoje à família e, a pedido de Itamar, depositadas no túmulo de sua mãe, Itália Cautier, em Juiz de Fora. Itamar morreu aos 81 anos no sábado, vítima de acidente vascular cerebral em São Paulo, onde estava internado para tratar uma leucemia.

Em torno do caixão, Dilma se despediu de Itamar entre o governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB), e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Já haviam passado pelo velório, em Juiz de Fora, os ex-presidentes José Sarney, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Collor, que cedeu o posto a Itamar em 1992, após impeachment.

Dilma compareceu à cerimônia acompanhada dos ministros Gleisi Hoffman, da Casa Civil; Ideli Salvati, das Relações Institucionais; Fernando Pimentel, de Desenvolvimento; Antônio Patriota, das Relações Exteriores; e Helena Chagas, da Secretaria de Comunicação. Além de Fernando Henrique e Anastasia, Dilma também se encontrou com outros tucanos como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o ex-governador José Serra e o senador Aécio Neves (MG).

Emoção

Todas as personalidades presentes à cerimônia fizeram questão de lembrar a trajetória de Itamar e a convivência com ele. Chamou atenção dos presentes a emoção demonstrada por Fernando Henrique. “As relações entre nós dois, durante muitos anos, foram entremeadas por brincadeiras. Então, eu choro hoje de saudades pelo Itamar. Eu posso ter certeza que o Brasil todo chora a morte. Mas ele ficará na nossa memória para sempre”, declarou o ex-presidente, ministro de Itamar e seu sucessor no Palácio do Planalto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.