Coreia do Norte diz estar “pronta para guerra” contra os EUA

Regime norte-coreano respondeu com ameaças à movimentação militar americana na península da Coreia. Rússia teme ação unilateral dos EUA contra o país

São Paulo – A Coreia do Norte está “pronta para reagir a qualquer tipo de guerra desejada pelos Estados Unidos” e alerta que o envio de porta-aviões para a região no último final de semana terá “consequências catastróficas”.

As informações foram divulgadas pelo regime de Kim Jong-un via a agência de notícias estatal Korean Central News Agency em um comunicado repercutido em todo o mundo.

“Tomaremos as contramedidas mais resistentes contra os provocadores para nos defendermos pelo uso da força das armas”, declarou o porta-voz do Ministério do Exterior norte-coreano.

“A grave situação prova novamente que a Coreia do Norte estava no seu direito quando aumentou suas capacidades militares em todas as áreas para se defender e realizar ataques preventivos usando a força nuclear como pivô”, continuou o oficial em nota.

Coreia do Norte x EUA

A Coreia do Norte está alerta desde a semana passada, depois que o presidente americano Donald Trump ordenou bombardeios em uma base aérea do governo sírio em resposta ao suposto ataque químico que matou 86 pessoas em Idlib (Síria). (Entenda o caso)

A reação americana, embora inesperada do ponto de vista da política externa não-intervencionista prometida pelo republicano, foi vista como “recado” para o regime norte-coreano. No domingo, Trump pediu ao Departamento de Segurança Nacional um “leque completo de opções” para lidar com a questão.

Programa nuclear

O país vem realizando uma série de testes nucleares desde 2016, ignorando sanções impostas pela comunidade internacional e resoluções do Conselho de Segurança da ONU. No fim do ano, o regime anunciou que testaria em 2017 um míssil balístico intercontinental, capaz de alcançar os EUA.

A situação, agora, é delicada, uma vez que analistas e líderes globais suspeitam que o regime esteja preparando mais um teste nuclear para o próximo final de semana, ocasião em que o país celebrará o 105º aniversário de seu fundador Kim Il-Sung.

Nesta semana, China, aliada do Norte, e Coreia do Sul divulgaram que estão negociando a adoção de novas medidas contra a Coreia do Norte, caso insista em prosseguir com o seu programa nuclear.

A Rússia, por sua vez, manifestou a preocupação de que os EUA podem estar se preparando para atacar o país unilateralmente, tal qual o que foi feito na Síria.

Na ocasião do quinto teste, em setembro do ano passado, EXAME.com produziu o vídeo abaixo que mostra alguns aspectos do programa nuclear do país. Veja.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Luiz Carlos Souza

    Bla bla bla, só isso, se fossem machos de verdade parariam de tá falatório e ameaça e partiriam logo pras vias de fato, parecem um monte de cumadi discutindo (e sim, eu estou duvidando dá masculinidade desse bando de boiolas).

  2. Márcio Della Rosa

    Os indivíduos desse regime desejam somente preservar a escravidão dos norte-coreanos, seus reféns… Se for para perderem esse domínio, querem promover um suicídio coletivo…