Copa na ONU tem cerveja sem imposto e torcida de diplomatas

Gritos dos diplomatas que apoiam suas seleções são altos o suficiente para serem ouvidos do lado de fora do prédio de Nova York

Nações Unidas – Assistir a partidas da Copa do Mundo tomando cerveja importada livre de impostos é parte importante da diplomacia na Organização das Nações Unidas.

Os gritos e suspiros de milhares de diplomatas que representam os 193 estados-membros da ONU e apoiam suas seleções nacionais são altos o suficiente para serem ouvidos do lado de fora da sede do organismo, em Nova York.

Neste momento, pelo menos, a competição internacional está no centro do cenário, ao invés da cooperação em relação à instabilidade no Iraque, da guerra civil síria e dos conflitos na África.

É por isso que os embaixadores dos Países Baixos, de Djibouti e do Brasil, organizador da Copa do Mundo, criaram um “grupo observador aberto” no North Delegates’ Lounge – um bar e cafeteria no edifício da ONU -, onde diplomatas, funcionários da ONU e jornalistas podem ver futebol 24 horas por dia.

“Se você olhar na média, os diplomatas trabalham 12 a 14 horas por dia, por isso, se você tomar um intervalo de duas horas está tudo bem”, disse Karel van Oostrom, embaixador holandês na ONU.

“É um esforço coletivo se pensarmos que apoiar uma seleção nacional é trabalho”.

Os diplomatas júnior concordam. Desde a partida inaugural entre o Brasil e a Croácia, em 12 de junho, pelo menos 50 pessoas podem ser encontradas a qualquer hora do dia sentadas em frente aos dois televisores instalados.

O gerente do bar, Rudy Lasher, disse que os negócios têm sido bons desde que ele passou a oferecer cervejas importadas a US$ 4 e vinhos especiais da casa a US$ 5.

As bebidas vendidas na ONU são mais baratas do que as comercializadas do lado de fora de seu campus de 3,3 hectares em Midtown Manhattan.

Como território internacional, o Delegates’ Lounge está isento de impostos sobre vendas, que é de 8,875 por cento para alimentos e bebidas, segundo o site do Departamento de Finanças da cidade de Nova York.

Van Oostrom inaugurou o centro de exibição 24 horas em 9 de junho junto com Roble Olhaye, enviado de Djibouti para a ONU e decano do corpo de diplomáticos, e o embaixador brasileiro Antonio Patriota.

O lugar tem uma parede com camisas dos 32 países que se classificaram para a fase de grupos da Copa.

Como um bônus à diversão, o embaixador do Reino Unido na ONU, Mark Lyall Grant, se uniu aos enviados de todos os outros países que competiram na fase de grupos para organizar um bolão entre os diplomatas para prever as seleções que se classificarão para as fases seguintes, o placar e a equipe vitoriosa da final, disse Iona Thomas, porta-voz do embaixador.

Camisa neutra

O secretário-geral da Onu, Ban Ki-moon, participou da inauguração do centro vestindo uma camisa branca e personalizada da ONU com o emblema do organismo internacional na cor oficial, azul-celeste.

O ex-diplomata sul-coreano disse que para ajudá-lo a se manter neutro durante a Copa, que tem um mês de duração, ele não iria assistir à primeira partida de sua seleção, contra a Rússia.

“Para manter minha neutralidade eu decidi não assistir ao jogo e receberei o relatório da minha equipe amanhã cedo”, disse Ban a repórteres, em 17 de junho, em Genebra.

“Eu posso não esconder meu próprio sentimento e apoio à seleção coreana, mas como secretário-geral é muito importante que eu seja imparcial”.

“Eu estou torcendo por todas as seleções que estão participando da Copa do Mundo!”, acrescentou, diplomaticamente.

O conflito interno de Ban foi resolvido ontem, quando a Bélgica eliminou a Coreia do Sul com uma vitória por 1 a 0.

Vitória da França

A maioria dos enviados tende a ser mais agressiva quando se trata de torcer por suas seleções, mas até o momento ninguém foi mordido no Delegates’ Lounge.

Após a França marcar três gols contra a Suíça no primeiro tempo da partida de 20 de junho, o embaixador da França na ONU, Gérard Araud, disse em um tuíte: “Eu peço aos meus jovens diplomatas no Delegates’ Lounge que não se esqueçam de seus negócios: estendam a mão aos nossos vizinhos na tristeza. Sejam gentis!”.

A França venceu por 5 a 2

A partir de hoje, a competitividade ficará ainda mais quente para os 16 países que se classificaram para as oitavas de final. O Delegates’ Lounge irá personalizar bebidas especialmente com base nos países que estão jogando as partidas, disse Lasher, o gerente do bar.

Van Oostrom, dos Países Baixos, cuja seleção vem de uma boa sequência, sugere servir leite fresco de vacas holandesas ou cerveja Heineken durante as partidas de sua seleção.

Araud, da França, sugere “champanhe para todos” quando os Bleus competirem.