Contagem de mortos das tragédias no Japão chega a 1.833

Segundo a agência de notícias local "Kyodo", no litoral da província de Miyagi, a mais afetada pelo terremoto, foram encontrado cerca de 2 mil corpos

Tóquio – Um total de 1.833 pessoas morreram e outras 2.369 estão desaparecidas em razão do grande terremoto de magnitude 8,9 na escala Richter e posterior tsunami que atingiu o Japão, de acordo com a última apuração policial.

Estima-se, no entanto, que o número final de vítimas seja muito maior, vários milhares, já que as autoridades locais das províncias afetadas estão divulgando dados de mortos e desaparecidos, que superam amplamente a apuração oficial.

Segundo a agência de notícias local “Kyodo”, no litoral da província de Miyagi, a mais afetada pelo terremoto, foram encontrado cerca de 2 mil corpos, enquanto outros 200 ou 300 foram localizados na capital regional, Sendai.

Além disso, na localidade litorânea de Minamisanriku, também em Miyagi, cerca de 9,5 mil pessoas permanecem desaparecidas, metade da população, mas acredita-se que algumas delas possam ter fugido para localidades vizinhas.

Também não se conhece o paradeiro de outros 8 mil habitantes da cidade litorânea de Otsuchi, na província de Iwate.

Cerca de 100 mil agentes de segurança a comando da operação de salvamento continuam trabalhando na região nordeste do Japão na busca de vítimas sob os escombros ou arrastadas mar adentro pelo tsunami de dez metros de altura.

Mais de 550 mil habitantes foram evacuados pela tragédia, a maior crise do Japão desde a Segunda Guerra Mundial, tal como qualificou o primeiro-ministro, Naoto Kan.