Comitê da ONU aprova negociação de proibição a armas nucleares

Resolução destaca as profundas preocupações sobre "as catastróficas consequências humanitárias de qualquer uso de armas nucleares"

Um comitê da Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou nesta quinta-feira o início de negociações para um novo tratado de proibição de armas nucleares, apesar da férrea oposição das potências nucleares mundiais.

Um projeto apresentado por Brasil, Áustria, Irlanda, México, Nigéria e África do Sul foi aprovado por 123 votos contra 38 e 16 abstenções, após semanas de campanha das potências nucleares a favor do ‘não'”.

A resolução – não vinculante – prevê o início de negociações em março próximo sobre o novo tratado, e destaca as profundas preocupações sobre “as catastróficas consequências humanitárias de qualquer uso de armas nucleares”.

Quatro das cinco potências nucleares e membros permanentes do Conselho de Segurança – Estados Unidos, França, Grã-Bretanha e Rússia – votaram contra o projeto, enquanto a China de absteve, assim como Índia e Paquistão, que possuem armas atômicas.

Japão, que durante um longo tempo fez campanha contra as armas nucleares, também votou contra, do mesmo modo que Coreia do Sul, que enfrenta a ameaça nuclear da Coreia do Norte.

Os opositores à iniciativa argumentam que o tema do desarmamento nuclear deve ser discutido com base nas negociações do Tratado de Não Proliferação Nuclear (NPT).

O projeto deve ser votado no plenário da Assembleia Geral no final de novembro.