Comissão Europeia faz alerta aos que desejam deixar a UE

O presidente da Comissão Europeia deixou claro que os países que quiserem "viver sem a União Europeia" não terão peso político no mundo

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, alertou nesta sexta-feira aos países do bloco com a tentação de seguir sozinhos que “sem a UE” não teriam nenhum peso político no planeta.

“Aqueles que pensam que é o momento de desconstruir a União Europeia, de fazer da UE em pedaços, de nos dividir em espaços nacionais, estão completamente equivocados”, disse Juncker, em uma entrevista por ocasião do 25º aniversário da reunião de assinatura do Tratado de Maastricht.

Na cidade holandesa, o chefe do Executivo comunitário advertiu que a UE “é uma parte importante da economia mundial, 25% do PIB”. “Dentro de 10 anos será de 15%. Dentro de 20 anos, nenhum membro da UE fará parte do G7 por si só”.

“Do ponto de vista demográfico, não estamos completamente em vias de desaparecer, mas perdemos peso”, completou o ex-primeiro-ministro de Luxemburgo.

“No início do século XX, os europeus representava 20% da humanidade, agora 5-7% e no final do século (XXI), 4% de 10 bilhões” de habitantes, disse.

Em 9 de dezembro de 1991, os governantes dos então 12 países da Comunidade Europeia decidiram nesta cidade holandesa transformar-se na União Europeia. O Tratado de Maastricht foi assinado dois meses depois, em 7 de fevereiro de 1992.