CIDH concede medida cautelar de proteção a Luisa Ortega

A Comissão considera que a vida e a integridade da procuradora-geral da Venezuela "enfrentam risco iminente de dano irreparável"

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) concedeu nesta sexta-feira medida cautelar de proteção para a procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega, por considerar que sua vida e integridade “enfrentam risco iminente de dano irreparável”.

A CIDH solicitou que o Estado venezuelano adote medidas para “garantir a vida e a integridade pessoal” de Ortega e seu núcleo familiar para que possa exercer sua função de procuradora-geral sem sofrer “ameaças, estigmatizações, fustigações ou atos de violência”.

Veja também