China condena dirigente de partido à morte por corrupção

A China condenou o ex-chefe do Partido Comunista da província sudoeste de Yunnan à morte por corrupção com um adiamento de dois anos para a execução da pena

Pequim — A China condenou o ex-chefe do Partido Comunista da província sudoeste de Yunnan à morte por corrupção com um adiamento de dois anos para a execução da pena. Bai Enpei é o mais recente funcionário a cair na ofensiva do presidente Xi Jinping contra subornos.

A corte afirmou que Enpei, de 70 anos, abusou de sua posição, inclusive como chefe do partido em Yunnan até 2011 e anteriormente como o alto funcionário na província ocidental de Qinghai, ilegalmente acumulando mais de 247 milhões de iuans (37 milhões de dólares) em ativos.

Foi concedido a ele um adiamento de dois anos para o cumprimento da pena, por ter admitido e lamentado seus crimes e porque os ativos foram recuperados integralmente, segundo o tribunal. Normalmente, sentenças de morte podem ser convertidas em prisão perpétua devido a bom comportamento.

“A quantidade de subornos que Bai Enpei aceitou era enorme, os detalhes de seus crimes extremamente graves e seu impacto social particularmente pernicioso”, afirmou o Tribunal Intermediário da cidade de Anyang, na província central de Henan, em seu blog oficial.