Chicago entra com processo contra governo Trump

O governo local acionou contra o presidente por reter fundos às cidades que se negam a cooperar com autoridades para reduzir imigrantes em situação ilegal

A cidade de Chicago apresentou uma demanda nesta segunda-feira contra o governo de Donald Trump por reter os fundos das chamadas “cidades santuário”, que se negam a cooperar com as autoridades federais em seu afã de reduzir os imigrantes em situação ilegal.

Esta ação, a primeira do tipo, desafia o requisito da administração Trump de que as cidades detenham os suspeitos de residência ilegal para serem interrogados pelas autoridades federais de imigração.

O prefeito de Chicago, Rahm Emanuel, disse nesta segunda-feira que a medida é contraproducente.

“Ao nos forçarem, ou o departamento de polícia, a escolher entre os valores da cidade e a filosofia do departamento de polícia… Acho que é uma escolha errada, e que enfraquece a nossa agenda real de segurança”, declarou à emissora CNN.

“Sempre seremos uma cidade de boas-vindas”, destacou, acrescentando que os departamentos de polícia locais dependem da cooperação da comunidade de imigrantes, tanto em situação legal como ilegal.

“Nosso departamento de polícia é parte de um bairro, parte de uma comunidade construída com base na confiança”, apontou o prefeito.

Graças a esta subvenção federal, que agora centraliza a demanda, Chicago recebeu 2,3 milhões de dólares em 2016 para comprar equipamentos policiais como automóveis, computadores, rádios e Tasers, detalhou Emanuel.