Central nuclear japonesa será testada após série de sismos

A central elétrica havia rejeitado duas vezes o pedido de suspensão imediata dos reatores Sendai 1 e 2 formulada pelo prefeito de Kagoshima

Uma companhia elétrica japonesa anunciou nesta segunda-feira (terça-feira no horário local) uma série de inspeções na central nuclear Sendai, uma das duas únicas em serviço no arquipélago, a fim de responder às inquietudes derivadas de uma série de abalos sísmicos ocorridos em seus arredores.

“Em resposta aos requerimentos do prefeito de Kagoshima (região do sudeste onde se encontra a central), preparamos alguns testes depois dos terremotos de Kumamoto e vamos realizá-los a partir desta terça-feira”, explicou a companhia Kyushu Electric Power em comunicado.

A central elétrica havia rejeitado duas vezes o pedido de suspensão imediata dos reatores Sendai 1 e 2 formulada pelo prefeito de Kagoshima, e lhe prometeu em troca realizar os exames pertinentes.

“Ao realizar os testes, queremos atenuar as preocupações da população”, ressaltou a companhia, que não entrou em detalhes sobre as inspeções previstas.

Sendai 1 e 2, relançadas em 2015 quando a prefeitura era governada por outro prefeito, devem parar respectivamente em outubro e dezembro de dois a três meses, a fim de realizar operações de manutenção obrigatórias após 13 meses de funcionamento comercial.

Das 42 unidades existentes (contra 54 antes do acidente de Fukushima em março de 2011), só há atualmente três reatores operacionais no arquipélago, dos quais um, Ikata 3 (sudeste), acaba de arrancar sua exploração comercial após ser reativada em agosto.