Capitão do navio turístico que pegou fogo na Indonésia é detido

O Zahro Express havia acabado de partir de Jacarta com 250 pessoas a bordo quando o motor explodiu, provocando um incêndio

A polícia da Indonésia anunciou nesta segunda-feira a prisão do capitão do navio que se incendiou no domingo, deixando 23 mortos.

O Zahro Express havia acabado de partir de Jacarta com 250 pessoas a bordo rumo à ilha de Tidung, a 50 km, onde levaria as pessoas para celebrar o Ano Novo, quando o motor explodiu, provocando um incêndio.

De acordo com as autoridades, o incidente teria sido provocado por um problema elétrico.

Aterrorizados, alguns dos passageiros pularam na água. Outros brigaram entre si para conseguir um dos coletes salva-vidas.

A maioria dos passageiros foram resgatados, mas 23 morreram e 50 ficaram feridos, de acordo com a agência nacional de gestão de desastres.

Argo Yuwono, porta-voz da polícia de Jacarta, anunciou nesta segunda-feira que o capitão foi detido na véspera por suposta negligência.

Vários meios de comunicação locais informaram que o capitão foi um dos primeiros a saltar na água, antes de ser resgatado com os outros passageiros.

A Indonésia, um país com mais de 17.000 ilhas, é muito dependente do transporte marítimo, mas acidentes são frequentes devido ao descumprimento das normas de segurança.