Britânicos prometem US$ 1,7 bi em ajuda aos sírios

A quantia adicional duplica os montantes concedidos previamente por Londres e será entregue entre 2016 e 2020, detalhou o governo britânico

O governo britânico prometeu, nesta quinta-feira, 1,74 bilhão de dólares em ajuda humanitária suplementar para as vítimas do conflito sírio.

“É preciso mais dinheiro para responder a esta crise, e é preciso agora”, afirmou o primeiro-ministro David Cameron, citado em um comunicado oficial.

A quantia adicional duplica os montantes concedidos previamente por Londres e será entregue entre 2016 e 2020, detalhou o governo britânico.

“O Reino Unido já comprometeu 1,12 bilhão de libras esterlinas, o que faz deste o segundo maior aporte mundial de dinheiro para a crise síria”, completou o governo.

Ao todo, cerca de 4,6 milhões de sírios fugiram para países vizinhos (Líbano, Jordânia, Turquia, Iraque e Egito), enquanto milhares chegaram à Europa.

“Com centenas de milhares de pessoas que arriscam suas vidas atravessando o Mar Egeu, ou os Bálcãs, chegou o momento de abordar o problema com uma nova abordagem”, afirmou Cameron, no comunicado.

O premiê britânico propõe “a criação de empregos” nos países vizinhos à Síria, o que “pode transformar a região e constituir um novo modelo para a ajuda humanitária”.