Brasil apoia ingresso da Guiné Equatorial à grupo lusófono

A incorporação da Guiné Equatorial como membro de pleno direito da CPLP será estudada na cúpula da organização do próximo dia 20, em Moçambique

Redação Central – A embaixadora do Brasil na Guiné Equatorial, Eliana da Costa e Silva Puglia, expressou o apoio do governo Dilma Rousseff à integração da Guiné Equatorial na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

As declarações da diplomata divulgadas nesta sexta-feira pelo Escritório da Guiné Equatorial de Informação e Imprensa ocorrem dois dias após o ministro das Relações Exteriores de Portugal, Paulo Portas, manifestar a oposição de Lisboa ao ingresso do país centro-africano à CPLP, alegando falta de progressos sobre direitos humanos.

A incorporação da Guiné Equatorial como membro de pleno direito da CPLP será estudada na cúpula da organização do próximo dia 20, em Moçambique.

”Estamos apoiando a integração da Guiné Equatorial na Comunidade de Países de Língua Portuguesa”, indicou Eliana da Costa, à frente da legação diplomática brasileira em Malabo (capital da Guiné Equatorial) desde agosto do ano passado.

O Brasil apoia a Guiné Equatorial nos setores de agricultura, energia, formação profissional, saúde, defesa e promoção da língua portuguesa.