Brasil acolhe 148 haitianos retidos na fronteira da Bolívia

O governador acrescentou que o estado do Acre forneceu cerca de R$ 2 milhões em ajuda humanitária para os recém chegados

Rio Branco – O Brasil acolherá nos próximos dias outros 148 haitianos que chegaram à Amazônia e estão retidos na fronteira do país com a Bolívia, assegurou o governador do Acre, Tião Viana.

Pelo menos 2.600 pessoas que deixaram o Haiti depois do terremoto de 2010 foram recebidas até agora “como irmãos” no Acre, disse Viana em declarações à Agência Efe.

O governador acrescentou que o estado do Acre forneceu cerca de R$ 2 milhões em ajuda humanitária para os recém chegados.

“Não temos nenhum problema com eles. Nós os ajudamos a buscar trabalho. As empresas interessadas (em contratá-los) vêm buscá-los aqui”, afirmou Viana.

Segundo o governador, a maioria está encontrando trabalho no setor serviços, “porque não são muito bons” em trabalhos rurais.

Cerca de 4.000 haitianos chegaram ao Brasil nos últimos meses para fugir da miséria e do caos de seu país, arrasado por um terremoto que deixou cerca de 300 mil mortos em janeiro de 2010.

A maioria desses imigrantes entrou pelas cidades fronteiriças de Tabatinga (no estado do Amazonas) e Brasileia (Acre).

A presidente Dilma Rousseff autorizou em janeiro a regularização da situação de cerca de 2.400 haitianos imigrantes ilegais no país, os quais receberão vistos de trabalho.

Dilma destinou em janeiro R$ 900 mil para programas de assistência a esses imigrantes na Amazônia.