Bombardeios na Síria deixam 43 mortos

Atualmente, realizam bombardeios no país árabe aviões do governo da Síria e de sua aliada, a Rússia

Beirute – Pelo menos 43 pessoas morreram nesta quinta-feira na Síria ao serem atingidas por bombardeios aéreos em regiões em poder da oposição ao governo do presidente Bashar al Assad nos arredores da capital Damasco e nas províncias de Idlib e Aleppo, no norte do país, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Segundo a ONG, deste total, 13 pessoas, entre elas três menores de idade, morreram em ataques da força aérea síria nas cidades de Duma, Hosh al Nasri e Al Rihan, na região de Ghouta Oriental, principal reduto opositor próximo à capital.

O ativista Hassan Taquiedin disse à Efe, pela internet, que o bombardeio em Duma teve como alvo um mercado popular.

Outras 15 pessoas morreram, entre elas dois menores, em bombardeios similares na cidade de Talmenes, no sul de Idlib, segundo o Observatório, que não informou a origem dos aviões que cometeram o ataque.

Quase toda Idlib está em poder da Frente al Nusra, filial síria da Al Qaeda, e de outras facções armadas.

Além disso, 15 pessoas morreram em ataques aéreos nos distritos de Al Salehin e Mashhad, ambas sob controle de organizações armadas opositoras, em Aleppo, a maior cidade do norte da Síria.

A ONG também não especificou a nacionalidade dos aviões que executaram os bombardeios neste caso.

Atualmente, realizam bombardeios no país árabe aviões do governo da Síria e de sua aliada, a Rússia, assim como a coalizão internacional liderada pelos EUA contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI).