Bombardeios da França na Síria matam pelo menos 30 pessoas

O ataque aéreo aconteceu em um palmeiral na localidade de Al Yala, no leste da província de Deir ez Zor, onde ficava o campo de treinamento dos radicais

Beirute – Ao menos 30 pessoas morreram e várias ficaram feridas no último domingo em um campo de treinamento do Estado Islâmico (EI) na Síria, no primeiro dia dos bombardeios da França contra o grupo terrorista, informou nesta quarta-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

O OSDH destacou que entre os mortos havia “filhotes do califado”, como o EI denomina os menores de idade que atuam em suas fileiras, assim como combatentes jihadistas adultos de nacionalidade síria, iraquiana e de países do norte da África.

O ataque aéreo aconteceu em um palmeiral na localidade de Al Yala, no leste da província de Deir ez Zor, onde ficava o campo de treinamento dos radicais.

No último dia 27, o exército francês se uniu aos bombardeios contra posições do EI na Síria, sob o argumento de que este grupo jihadista representa uma ameaça direta para sua segurança nacional.

O presidente francês, François Hollande, explicou na sede da ONU em Nova York os detalhes sobre essa primeira operação, que teve como alvo um acampamento do EI em uma localidade próxima a Deir ez Zor, capital da província homônima.

“Nossas forças conseguiram seus objetivos: o acampamento foi destruído em sua totalidade”, comentou Hollande, antes de especificar que foram utilizados seis aviões de combate, cinco deles caças Rafale, de fabricação francesa.

O chefe de Estado francês garantiu que esse ataque não teve consequências sobre a população civil.