Bombardeio contra hospital em Aleppo mata pelo menos 6

Duas enfermeiras morreram nesse bombardeio, que também deixou vários médicos feridos

Beirute – Pelo menos seis pessoas morreram nesta segunda-feira no bombardeio a um hospital dos bairros assediados do leste da cidade síria de Aleppo (norte), disse à Agência Efe o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos, Rami Abdurrahman

Abdurrahman informou que o Hospital M10 foi atacado por aviões de guerra não identificados, e ressaltou que esta é a terceira vez que o local é bombardeado em menos de uma semana.

O porta-voz da Defesa Civil da Síria em Aleppo, Khaled Khatib (@995Khaled), escreveu no Twitter que duas enfermeiras morreram nesse bombardeio, que também deixou vários médicos feridos.

A Organização Legista de Aleppo Livre, que presta atendimento médico no leste de Aleppo, afirmou em comunicado que um avião russo atacou o M10 com uma bomba e que vários membros da equipe médica estão soterrados nos escombros.

O M10, um dos maiores hospitais da zona leste de Aleppo, já tinha sido atingido no sábado passado e, na ocasião, ficou completamente fora de funcionamento.

A Organização Legista de Aleppo Livre detalhou que durante o dia de hoje vários médicos e enfermeiras tinham ido ao local para recuperar equipamento e remédios e atender alguns casos urgentes.

Os ativistas em Aleppo costumam nomear os hospitais com a letra M, seguida de um número, por motivos de segurança e para evitar que sejam identificados e se transformem em alvo de bombardeios.

Atualmente, cinco hospitais estão operando no leste de Aleppo, de acordo com dados da Sociedade Médica Síria Americana (SAMSF), que oferece apoio a esses centros médicos.

Desde 22 de setembro, o Exército sírio, apoiado pela aviação russa, realiza uma campanha militar em Aleppo, em uma tentativa de avançar frente aos rebeldes.