Blatter não foi notificado de decisão da Fifa, diz advogado

"Publicamos este comunicado em resposta a informações divulgadas na imprensa sobre a Comissão de Ética da Fifa", diz comunicado da defesa de Blatter

O presidente demissionário da Fifa, Joseph Blatter, não foi notificado de nenhuma ação tomada contra ele, afirmaram seus advogados nesta quarta-feira, negando relatos da imprensa britânica de que o cartola seria alvo de uma suspensão da Comissão de Ética da entidade.

“Publicamos este comunicado em resposta a informações divulgadas na imprensa sobre a Comissão de Ética da Fifa. O presidente Blatter não foi notificado de nenhuma ação tomada contra ele”, explicaram o advogado suíço Lorenz Erni e o americano Richard Cullen numa nota oficial conjunta.

Eles alegam que Blatter ainda não foi ouvido pelas instâncias disciplinares da entidade, o que impediria a tomada de qualquer decisão oficial.

“Nossa expectativa é que a Comissão de Ética queira ouvir o presidente e seus advogados, para comprovar as evidências antes de emitir qualquer recomendação e tomar uma ação disciplinar”, completou o comunicado.

Vários veículos britânicos, entre eles Sky News e o jornal The Guardian, haviam publicado pouco antes que a Comissão de Ética da Fifa tinha recomendado a suspensão provisória por 90 dias de Blatter, que é alvo de uma investigação penal na Suíça.

Ambos citaram declarações de Klaus Stoehlker, apresentado como um conselheiro próximo do cartola.

A comissão de ética da Fifa está reunida desde segunda-feira em Zurique para avaliar os casos de Blatter, do francês Michel Platini, favorito à sua sucessão, e do sul-coreano Chung Mong-joon, outro candidato à presidência.

Na semana retrasada, a justiça suíça abriu uma investigação criminal contra Blatter, por “abuso de confiança” e “pagamento indevido” de dois milhões de francos suíços (1,8 milhão de euros) a Michel Platini, presidente da Uefa e favorito à sua sucessão.

A Procuradoria-Geral também suspeita que o suíço de 79 anos assinou “um contrato desfavorável para a Fifa” com a União Caribenha de Futebol (CFU), presidida por Jack Warner, na venda dos direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2010 e 2014.

Por conta dessas acusações, Blatter enfrenta forte pressão para deixar o cargo antes da próxima eleição, inclusive por parte dos principais patrocinadores da Fifa, que pediram sua renúncia imediata na última sexta-feira.