Berlim começa a festejar entre fortes medidas de segurança

Grossos blocos de concreto, câmeras de vigilância e veículos policiais foram posicionados nos acessos ao de Brandemburgo

A chamada “milha da festa” junto ao Portão de Brandemburgo de Berlim foi aberta nesta sexta-feira para os festejos prévios à celebração do Ano Novo, que acontecerá amanhã no local e para a qual se reforçou o dispositivo de segurança após o atentado do último dia 19 na capital alemã.

Grossos blocos de concreto, câmeras de vigilância e veículos policiais foram posicionados nos acessos ao grande recinto, de mais de um quilômetro de comprimento, no qual amanhã devem comparecer até meio milhão de pessoas.

A festa de Fim de Ano em Berlim é tradicionalmente a maior do país e está marcada pelo impacto do atentado jihadista supostamente cometido pelo tunisiano Anis Amri contra um mercado de rua natalino, no qual morreram 12 pessoas e 50 ficaram feridas.

As autoridades berlinenses prepararam um contingente policial integrado por 1.800 agentes, aos quais se somarão 800 integrantes da equipe de segurança privada.

Medidas parecidas foram adotadas em outras cidades do país, especialmente em Frankfurt, capital financeira e banqueira europeia, e em Munique, na Baviera.

Especialmente sensível é a situação em Colônia (oeste), cujas autoridades garantiram que não se repetirá o caos do Ano Novo passado, em que centenas de mulheres foram vítimas de situações de assédio, abusos sexuais e roubos, principalmente por parte de norte-africanos, mas também refugiados da Síria e do Afeganistão.

O chefe de polícia de Colônia, Jürgen Matthies, declarou na apresentação do esquema de segurança que um total de 1.500 agentes patrulharão as imediações da catedral e da estação, onde ocorreram os abusos, e os demais pontos vulneráveis.

Nesta sexta-feira aconteceu também em Colônia uma festa prévia, com um ensaio geral da instalação de luminotecnia preparada pelo artista Philipp Geist, sob o lema “Paz e Humanidade”, com a qual se quer dar uma mensagem de harmonia após os incidentes do ano passado.