Ban Ki-moon condena ataque contra escola de Aleppo

"Se esses ataques foram deliberados, podem ser considerados como crimes de guerra", disse Ban, em um comunicado

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou nesta sexta-feira (28) o ataque a uma escola no oeste de Aleppo, uma região controlada pelo governo sírio, no qual várias crianças morreram.

“Se esses ataques foram deliberados, podem ser considerados como crimes de guerra”, disse Ban, em um comunicado.

A imprensa estatal síria relatou que os rebeldes bombardearam uma escola no oeste de Aleppo. A cidade ficou dividida em meados de 2012, quando os rebeldes ocuparam o leste.

“Três crianças foram assassinadas, e 14 estudantes ficaram feridos em um bombardeio terrorista contra uma escola nacional no bairro de Shahba de Aleppo”, informou, de Damasco, a agência de notícias estatal Sana.

Ki-moon renovou seu apelo ao Conselho de Segurança para pedir ao Tribunal Penal Internacional que investigue as acusações de crimes de guerra na Síria.

“Os responsáveis por esses atos devem ser levados à justiça”, completou.

Apoiadas pela Rússia, as forças do governo lançaram em setembro passado ataques por ar e terra para retomar o leste de Aleppo. Neles, centenas de civis morreram, e a infraestrutura foi destruída, incluindo os hospitais.

Na quarta-feira, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) relatou que 22 crianças foram assassinadas junto com seis professores em bombardeios na província rebelde de Idlib.

Ban disse estar consternado com o ataque e pediu investigação imediata, depois de alertar que o ataque à escola pode representar um crime de guerra.