Austrália confirma que EI planejava ataque contra avião em Sydney

Supostos terroristas camuflaram uma bomba dentro de um triturador de carne que seria despachado em um voo da companhia Etihad Airways no dia 15 de julho

Sydney – A polícia da Austrália confirmou nesta sexta-feira que o Estado Islâmico (EI) tinha desenvolvido um sofisticado plano para colocar um artefato explosivo no interior de um avião de passageiros no aeroporto de Sydney.

Os supostos terroristas detidos no último sábado tinham camuflado uma bomba dentro de um triturador de carne que seria despachado em um voo da companhia Etihad Airways no dia 15 de julho.

No entanto, esse primeiro plano foi abortado antes que o artefato passasse pelos controles de segurança do aeroporto, indicou o subcomissário de polícia Michael Phelan em uma coletiva de imprensa.

A bomba foi desarmada por um dos extremistas e um segundo plano foi acionado para montar um dispositivo químico com sulfureto de hidrogênio, uma substância altamente tóxica e fatal para as pessoas.

Phelan qualificou o plano terrorista como um dos mais “sofisticados já tentados em solo australiano” e louvou a atuação dos serviços de inteligência para frustrar o ataque.

O subcomissário policial detalhou que os componentes utilizados para a montagem do artefato explosivo, que aconteceu na Austrália com ajuda de especialistas do grupo jihadista, foram enviados da Turquia por integrantes do Estado Islâmico.

A polícia prendeu quatro pessoas no sábado, das quais uma foi liberada sem acusações, em operações policiais efetuadas em vários pontos de Sydney, duas semanas depois que o plano terrorista foi desbaratado.

Khaled Khayat e Mahmoud Khayat, de 49 e 32 anos respectivamente, foram acusados ontem à noite de terrorismo pela Justiça australiana, enquanto outra pessoa continua detida sob investigação.

Durante a operação, em uma das casas que foram alvo de buscas as autoridades encontraram produtos químicos e outros componentes para supostamente montar um segundo dispositivo, que não foi terminado e não se sabe quando e onde seria utilizado.

O primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, anunciou ontem a decisão de reduzir o nível de alerta terrorista nos aeroportos de “provável” para “possível” ataque.

As autoridades da Austrália, no entanto, querem aumentar as medidas de segurança para prevenir qualquer ataque contra a aviação civil no país.

A Austrália elevou seu alerta para terrorismo em setembro de 2014 e aprovou uma série de leis antiterroristas para evitar que atentados aconteçam em seu território.

Desde então, o país sofreu quatro ações violentas e os corpos de segurança frustraram 13 planos para a realização de atentados, além das detenções de 70 pessoas em 31 intervenções.