Ataques na Síria matam 23 pessoas, incluindo 13 jihadistas

O OSDH não soube informar se os aviões que realizaram os ataques pertencem ao regime sírio do presidente Bashar al-Assad ou a Rússia

Pelo menos 23 pessoas – 13 combatentes do grupo Estado Islâmico (EI) e 10 civis – foram mortas nesta terça-feira em ataques na cidade de Raqa (nordeste da Síria), capital da organização jihadista, anunciou uma ONG.

“Treze membros da organização Estado Islâmico e 10 civis morreram depois de pelo menos 16 ataques aéreos contra alvos do grupo em vários locais na cidade de Raqa”, indicou à AFP o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

O OSDH não soube informar se os aviões que realizaram os ataques pertencem ao regime sírio do presidente Bashar al-Assad ou a Rússia.

Além disso, as Forças Democráticas da Síria (SDS) -uma coalizão árabe-curda que anunciou no sábado o lançamento de sua primeira ofensiva contra territórios controlados pelo EI – avançaram no nordeste da cidade de Hassake, depois de combates contra os jihadistas, segundo o OSDH.

Em outubro, as Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), a principal milícia curda, e grupos rebeldes árabes que lutavam juntos há muito tempo, decidiram criar uma coalizão incluindo curdos, árabes e cristãos sírios.

Na sexta-feira à noite, eles lançaram uma operação contra os territórios controlados pelo EI na província de Hassake, de acordo com Sherfan Darwish, um porta-voz de um membro rebelde das FDS.