Argentina pede reunião para definir presidência do Mercosul

Brasil e Paraguai não aceitam que a Venezuela assuma a condução do bloco - a qual cada sócio exerce por seis meses - devido à crise política no país petroleiro

A Argentina propõe a seus sócios do Mercosul que seja feita uma reunião de coordenadores para destravar as divergências sobre a Venezuela assumir a presidência do bloco, vaga desde que o Uruguai considerou seu período concluído – informaram fontes da Chancelaria à AFP.

“A Argentina considera que nenhum país pode assumir a presidência sem passagem e propõe uma reunião de coordenadores para solucionar esse problema”, informou um funcionário do Ministério das Relações Exteriores em Buenos Aires, que pediu anonimato.

O objetivo é que seja realizada uma reunião como estabelece o protocolo do bloco “para preservar as formas do Mercosul”, disse a fonte consultada.

Brasil e Paraguai não aceitam que a Venezuela assuma a condução do bloco – a qual cada sócio exerce por seis meses – devido à crise política no país petroleiro.

Nesta segunda-feira (1º), o chanceler paraguaio, Eladio Loizaga, disse que seu país não reconhece a decisão da Venezuela de se “autoproclamar” na presidência do Mercosul e assegurou que dirigirá o bloco regional junto com Brasil e Argentina.