Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Argentina acusa Repsol por prejuízo de US$ 9 bi na YPF

O presidente da petroleira espanhola, Antonio Brufau, é acusado de provocar uma dívida na filial argentina

Buenos Aires – A petroleira espanhola Repsol deixou um prejuízo de 9 bilhões de dólares em sua filial YPF, afirmou nesta terça-feira o vice-ministro da Economia da Argentina, Axel Kicillof.

Ao falar no Senado sobre a decisão do governo argentino de expropriar 51% do total de 57% das ações da Repsol na YPF, Kicillof disse que o presidente da petroleira espanhola, Antonio Brufau, provocou uma dívida de 9 bilhões de dólares na filial argentina.

“Ele fala em excelente gestão, mas há uma dívida de 9 bilhões de dólares. As vezes se disfarça isto como investimentos, e Brufau nos diz que não tem dinheiro para investir…”.

Sobre o pedido de indenização de 10 bilhões de dólares da Repsol pela expropriação da YPF, Kicillof disse que o Tribunal de Tarifas da Argentina será encarregado de estabelecer o valor.

“Mas estamos em condição de dizer que os números sobre o valor da companhia, que citam de maneira imprudente, serão revisados na medida em que vamos conhecendo as informações secretas que a empresa manejava”.

Kicillof, economista de 40 anos, afirmou no Senado que a Repsol “baixou a produção de hidrocarbonetos porque Brufau nos pedia o preço internacional do petróleo e não o deixamos exportar mais”.

O vice-ministro defendeu o tabelamento dos preços dos combustíveis para beneficiar os trabalhadores, a indústria e os transportes, visando manter o forte crescimento econômico registrado desde 2003.

Ligado ao grupo juvenil governista La Cámpora, Kicillof afirmou aos legisladores que a “Repsol distribuiu dividendos totalizando 15,7 bilhões de dólares entre 1999 e 2011”, quando “gastou 13,158 bilhões para comprar a YPF”.

Segundo a Argentina, a falta de investimentos da Repsol na YPF provocou a queda da produção no país e a necessidade de importação de combustíveis, que em 2011 custou 9 bilhões de dólares ao país.