Após radioterapia, Lula é submetido à quimioterapia

Tratamento é considerado pelos médicos como uma terapia complementar à radioterapia

São Paulo – Após passar pela primeira sessão de radioterapia nesta manhã, descansar e almoçar, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está fazendo hoje uma sessão de quimioterapia, considerada pelos médicos uma terapia complementar à radioterapia. Lula almoçou normalmente e, segundo sua assessoria, não apresentou efeito colateral à radiação.

Segundo a assessoria de imprensa do Hospital Sírio-Libanês, a quimioterapia já era planejada pela equipe médica desde o início de dezembro e foi agendada para ocorrer no mesmo dia da primeira sessão de radioterapia. A medicação é diferente dos três ciclos de quimioterapias aos quais Lula se submeteu no ano passado.

Lula chegou ao Sírio-Libanês às 10h42 e evitou os jornalistas. De acordo com a assessoria de imprensa do ex-presidente, apesar da distância entre o hospital e a casa dele em São Bernardo do Campo (ABC), o ex-presidente deve vir diariamente ao hospital, com exceção dos sábados e domingos, durante seis a sete semanas.

O ex-presidente deve deixar o Hospital Sírio-Libanês ainda hoje assim que acabar a sessão de quimioterapia, o que está previsto para ocorrer entre 16h e 17h.