Dólar R$ 3,28 0,59%
Euro R$ 3,67 0,11%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa -1,54% 61.673 pts
Pontos 61.673
Variação -1,54%
Maior Alta 7,00% EMBR3
Maior Baixa -31,34% JBSS3
Última atualização 22/05/2017 - 17:21 FONTE

Angola declara fim de pior epidemia de febre amarela em décadas

Surto teve início um ano atrás em uma favela da capital, Luanda, e se espalhou por toda Angola

Luanda – Angola declarou o fim da pior epidemia de febre amarela do mundo em uma geração nesta sexta-feira, depois de uma campanha de vacinação de 25 milhões de pessoas apoiada pela Organização das Nações Unidas (ONU) graças à qual não surgiu nenhum caso novo em seis meses.

O surto teve início um ano atrás em uma favela da capital, Luanda, e se espalhou por toda Angola, país do sudeste africano assolado por guerras, e para a vizinha República Democrática do Congo. No total, mais de 400 pessoas morreram.

Mais de 15 milhões de angolanos e 10 milhões de congoleses foram vacinados durante a campanha coordenada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em um comunicado intitulado “O fim da epidemia de febre amarela em Angola”, o Ministério da Saúde em Luanda disse que a campanha de vacinação deteve o avanço da doença.

Em setembro, a OMS disse que o surto estava sob controle, mas que era cedo demais para dizer que havia sido completamente erradicado, já que havia mais de 6 mil casos suspeitos da doença transmitida por mosquitos.

As campanhas de vacinação esgotaram o estoque global de 6 milhões de doses duas vezes este ano, obrigando os médicos a administrar um quinto de uma dose normal, tática que a OMS diz proporcionar ao menos uma proteção temporária.

O risco de ocorrência de surtos globais aumentou nos últimos anos devido à urbanização e à mobilidade crescente da população, e foi particularmente agudo neste ano por causa do evento climático El Niño, que multiplicou a quantidade de mosquitos.

A febre amarela é transmitida pelos mesmos mosquitos que propagam os vírus do Zika e da dengue.