Alemão anuncia candidatura para a presidência do COI

O dirigente é um dos vice-presidentes do Comitê Olímpico Internacional e apontado como favorito a suceder Jacques Rogge, que deixará o cargo em setembro

Frankfurt – O alemão Thomas Bach anunciou nesta quinta-feira a sua candidatura à presidência do Comitê Olímpico Internacional (COI). O dirigente é um dos vice-presidentes do COI e apontado como favorito a suceder Jacques Rogge, que deixará o cargo em setembro, após 12 anos no comando da entidade.

Bach disse que a sua experiência no movimento olímpico o converte em alguém “bem preparado” para um dos mais poderosos cargos do esporte. O advogado alemão, de 59 anos, campeão olímpico na esgrima em 1976, disse que avisou Rogge e seus colegas do COI sobre suas intenções de ser candidato.

O alemão explicou que apresentará oficialmente a sua candidatura em junho, com o lema “Unidade na Diversidade”. “Não queria que outros membros (do COI) seguissem sem saber”, disse Bach. “Creio que é o momento adequado”, completou o dirigente, que aposta no seu currículo para suceder Rogge.

“Eu estou ciente da magnitude do trabalho de um presidente do COI”, disse Bach. “Ao mesmo tempo, em posições honorárias e através da minha carreira profissional, ganhei muita experiência em gestão e liderança em esportes nacionais e internacionais, economia, política, direito e sociedade. Então, eu sinto que estou bem preparado”.

Bach faz parte do Comitê Executivo do COI desde 1996. Como diretor da comissão judicial, ele dirige a maioria das investigações de doping, e também preside a Confederação Alemã de Esportes Olímpicos. “Minha eleição seria um reconhecimento ao esporte alemão”, afirmou.

Ele disse que vai apresentar os documentos necessários para registrar sua candidatura antes do prazo de 10 de junho, exatamente três meses antes da eleição, marcada para o dia 10 de setembro em Buenos Aires.

O porto-riquenho Richard Carrion, diretor de finanças e acordos comerciais do COI, e Ng Ser Miang, outro vice-presidente do COI, de Cingapura, são considerados como outros possíveis candidatos à presidente do comitê.