50 mil combatentes do EI morreram no Iraque e na Síria desde 2014

"Não faço contas mórbidas, mas um número desta envergadura importa por seu impacto no inimigo", disse um oficial americano

Ao menos 50 mil combatentes do grupo extremista Estado Islâmico (EI) foram mortos pela coalizão liderada pelos Estados Unidos desde o início de suas operações na Síria e no Iraque no fim de 2014, informou nesta quinta-feira um alto oficial americano.

“Não faço contas mórbidas, mas um número desta envergadura importa por seu impacto no inimigo”, disse o oficial, acrescentando que a cifra de 50.000 é “uma estimativa conservadora”.