250 sírios estão desaparecidos após ataque do EI

Os jihadistas não conseguiram esta semana assumir o controle do aeroporto militar e da central de energia elétrica de Teshrin

Quase 250 funcionários de uma fábrica de cimento estão desaparecidos desde segunda-feira e as autoridades temem que tenham sido sequestrados pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI) em Dmeir, 40 km ao nordeste de Damasco.

“Perdemos o contato com 250 trabalhadores da fábrica de cimento Badia na segunda-feira e não sabemos onde estão”, afirmou um diretor da empresa à AFP. Os parentes dos funcionários temem um sequestro do EI.

A ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), afirmou que “o contato foi perdido com dezenas de funcionários após um ataque do EI contra a fábrica e há fortes suspeitas de que foram sequestrados pelo EI e levados a um local desconhecido”.

Uma fonte das forças de segurança afirmou que os jihadistas não conseguiram esta semana assumir o controle do aeroporto militar e da central de energia elétrica de Teshrin, em uma ofensiva contra Dmeir, controlada em grande parte pelos rebeldes sírios.