225.000 católicos assinam petição contra reformas familiares

A petição, estimulada pelo cardeal ultraconservador americano Raymond Leo Burke e destinada ao papa Francisco, foi criada em janeiro

Cidade do Vaticano – Mais de 225.000 pessoas, incluindo quatro cardeais e 22 bispos, assinaram uma petição contra a possibilidade do Vaticano integrar melhor na Igreja os divorciados que voltam a casar ou os homossexuais, anunciaram os promotores da iniciativa.

A petição, estimulada pelo cardeal ultraconservador americano Raymond Leo Burke e destinada ao papa Francisco, foi criada em janeiro, pensando no sínodo (reunião de bispos) sobre a família previsto para outubro no Vaticano.

Os signatários estão preocupados com a intenção manifestada ano passado por alguns cardeais e teólogos de acolher dentro da Igreja os divorciados que voltam a casar, pessoas que vivem em concubinato e homossexuais.

Para os conservadores, a reforma mais polêmica, mencionada pelo cardeal alemão Walter Kasper, considerado próximo ao papa, seria a autorização de comungar concedida a alguns divorciados que voltam a casas no civil, desde que eles realizem um “caminho de penitência”.