Volume financeiro de IPOs em 2013 já supera o boom de 2007

Ofertas do BB Seguridade e Smiles, juntas, levantaram R$ 12,6 bilhões

São Paulo – Há muito tempo o mercado sonha com um ano parecido com o de 2007 para as ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) e parece que o momento, enfim, chegou. Considerando o período de janeiro até o final de abril, 2013 já supera o ano do “boom” das ofertas na BM&FBovespa.

É certo que apenas os bancos de investimentos, que ganharam milhões de reais em tarifas das operações, ainda comemoram aquele momento único para o mercado de capitais brasileiro.

Isso porque muitas empresas de capital fechado foram “empacotadas” às pressas para serem vendidas ao mercado rapidamente com o objetivo de aproveitar o excesso de liquidez e a euforia em torno da bolsa brasileira.

Naquele ano, 64 empresas realizaram IPOs por aqui. Entre elas estão PDG Realty, JBS, Bovespa e MPX. Além de outras que já deixaram a bolsa, como a Tenda, GVT, Agra, Cruzeiro do Sul e Patagônia. Foi neste ano também que Agrenco, Laep e Panamericano vieram ao mercado.

Retomada

Até o final de abril de 2007, os IPOs captaram 12,215 bilhões de reais. Em 2013, esse valor já chega a 14,5 bilhões de reais em seis operações: Linx (LINX3), Senior Solution (SNSL3M), Biosev (BSEV3), Alupar (ALUP11), BB Seguridade (BBSE3) e Smiles (SMLE3).

Edemir Pinto, presidente da BM&FBovespa, eterno otimista com as ofertas de ações agora já pode comemorar. Em 2012, apenas três empresas realizaram ofertas públicas iniciais em 2012, frente a 11 em 2010 e em 2011 cada. Em 2009, seis empresas e, em 2008, outras quatro (entre elas, a OGX). O mercado espera que os IPOs do BB Seguridade e da Smiles marquem a retomada dos IPOs no Brasil.

BB Seguridade

As ações do IPO do BB Seguridade) foram vendidas a 17 reais, dentro do esperado pelos coordenadores da oferta (15 reais a 18 reais). A oferta girou, no total, 11,475 bilhões de reais. Precificada nesta quinta-feira, as ações estreiam na Bovespa na próxima segunda-feira, dia 29.


Os papéis serão negociados no Novo Mercado da Bovespa, o nível mais alto de governança corporativa da bolsa. Foram ofertadas 500 milhões de ações ordinárias, além de um lote suplementar de 75 milhões de ações, e de outro lote adicional de 100 milhões de ações. Todos os papéis foram vendidos.

Como a distribuição é do tipo secundária, os recursos da venda ficarão com o acionista vendedor que no caso é o Banco do Brasil. O IPO tem como coordenador-líder o BB Investimentos. As ações estreiam na bolsa na próxima segunda-feira, dia 29 de abril. A oferta é a segunda maior já realizada na Bovespa, atrás do Santander Brasil em outubro de 2009 (13,182 bilhões de reais).

Smiles

As ações da Smiles foram precificadas nesta quinta-feira a 21,70 reais, dentro do intervalo esperado pelos coordenadores da operação (20,70 reais e 25,80 reais). A empresa de fidelidade de clientes da GOL esperava levantar até 1,35 bilhão de reais em sua oferta pública inicial primária de ações.

Foram colocadas a disposição do mercado 38,6 milhões de ações ordinárias no lote inicial. A oferta ainda teve lotes suplementar e adicional reunindo até 13,5 milhões de ações. Todos os lotes foram vendidos.

Segundo o prospecto da oferta, os recursos levantados serão utilizados para pagamento antecipado para compra de Passagens Prêmio da VRG Linhas Aéreas. O coordenador líder da operação é o Credit Suisse. As ações farão parte do Novo Mercado.

A empresa será uma alternativa na bolsa ao programa de fidelidade da TAM, a Multiplus (MPLU3). As ações também estreiam na Bovespa na próxima segunda-feira, dia 29.