Dólar R$ 3,18 1,02%
Euro R$ 3,72 0,08%
SELIC 9,25% ao ano
Ibovespa 0,14% 68.073 pts
Pontos 68.073
Variação 0,14%
Maior Alta 3,78% BBSE3
Maior Baixa -2,96% KROT3
Última atualização 18/08/2017 - 10:56 FONTE

Ultimato da Nyse dá prazo para sobrevivência da Kodak

Empresa precisa levantar recursos com urgência para resgatar a confiança dos investidores

São Paulo – A Kodak (EK) está mal na foto e pode ser literalmente apagada da bolsa. A Nyse (New York Stock Exchange) declarou hoje que a empresa tem 6 meses para fazer com que a sua ação volte a ser negociada acima de um dólar, o que não acontece há um mês, para continuar listada.

As ações, que chegaram a valer 5,85 dólares no ano passado, ficaram abaixo de 1 dólar em 30 de setembro com especulações sobre um pedido de falência. Desde o dia 2 de dezembro, os papéis não superam este patamar. 

A reinvenção da Eastman Kodak, que acumula prejuízos desde 2005, agora ganha um deadline com o anúncio da bolsa de Nova York. Sem os ativos cotados ali, a visibilidade da empresa para os investidores cai ainda mais e pode prejudicar a venda de novas ações.

Desempenho das ações em 1 ano:

A subida das ações depende de (mais) um plano para capitalizar a empresa e mudar o perfil dos negócios. O primeiro passo é continuar na migração do segmento de fotografia para o de impressão. O outro é monetizar as 1.100 patentes de imagens digitais que possui.

O analista da Rafferty Capital Markets, Mark Kaufman, avalia que a Kodak pode optar pela venda de uma fatia de 20% na empresa de patentes, separada justamente para uma melhor avaliação do mercado. Segundo cálculos de Kaufman, a companhia de patentes teria um valor de aproximadamente 2,5 bilhões de dólares.

A contagem regressiva para um anúncio já foi iniciada pela Nyse. A Kodak irá divulgar os resultados finais de 2011 no dia 26 de janeiro. Para o analista, qualquer que seja o plano de reestruturação, a expectativa é de que os detalhes saiam ainda neste mês.