Títulos da TAM batem recorde com aposta em investimento

Investidores apostam que a Latam conseguirá se tornar a única companhia aérea de mercados emergentes a ter nota de crédito em grau de investimento

Nova York – Os títulos da dívida da TAM SA estão disparando com apostas de investidores de que a controladora da empresa, a Latam Airlines Group SA, conseguirá se tornar a única companhia aérea de mercados emergentes a ter nota de crédito em grau de investimento.

Os papéis com vencimento em 2017 subiram 6,42 centavos para a cotação recorde de 107,72 centavos de dólar desde que a TAM, em 22 de junho, uniu-se à chilena LAN Airlines SA para criar a maior companhia aérea do mundo em valor de mercado. O rendimento dos títulos caiu 155 pontos-base, ou 1,55 ponto percentual, para 5,73 por cento. A dívida de prazo similar da Qantas Airways Ltd. rende 5,27 por cento. A empresa australiana tem nota BBB, a segunda menor de grau de investimento na Standard & Poor’s.

Investidores estão apostando que a TAM, que responde por mais de 50 por cento da receita da Latam, vai se beneficiar da tentativa da controladora de entrar para o grupo de três únicas companhias aéreas do mundo com grau de investimento: Qantas, Southwest Airlines e Deutsche Lufthansa AG. A Latam, hoje com nota BB+ pela Fitch Ratings, ou um nível abaixo do grau de investimento, está reduzindo dividendos e dívida para ter um upgrade no próximo ano, disse o diretor financeiro, Alejandro de la Fuente, em 16 de agosto. A receita da Latam cresceu 27 por cento em 2011, três vezes mais do que a da Qantas.

“A TAM agora é a maior unidade e a ideia é integrar as empresas”, disse Roger King, analista da CreditSigths Inc., em entrevista por telefone de Nova York. “Não acho que os títulos da TAM vão ficar parados. Ficaria otimista com todos os papéis.”

A assessoria de imprensa da Latam se negou a fazer comentários.

Representantes da TAM não responderam aos pedidos de comentários feitos por e-mail e telefone.