Super Mario frustra jogadores e ações da Nintendo despencam

Avaliações de usuários e preço cobrado por Super Mario Run desanimaram os investidores; ações já caíram mais de 11% desde o lançamento do jogo

São Paulo — A Nintendo atendeu ao pedido dos fãs de “Super Mario” e lançou, na última semana, o primeiro jogo do personagem para iPhone. Mas, ao contrário de Pokémon GO, o simpático encanador não fez a alegria dos investidores. Desde que o jogo foi anunciado, as ações da companhia desvalorizaram 11% na bolsa de Tóquio. Só nesta segunda-feira (18), os papéis caíram 7%.

Parte do desânimo com a companhia pode ser explicado pelas avaliações que “Super Mario Run” recebeu nos últimos dias (2,5 estrelas de um total de 5 na Apple Store). O desempenho frustrou os investidores, que esperavam que o primeiro jogo efetivamente desenvolvido pela Nintendo para dispositivos móveis fosse um sucesso.

“As expectativas dos investidores eram fortes”, disse Hideki Yasuda, analista do Ace Research Institute, conforme relata a Bloomberg. “Há muita gente escrevendo que o Super Mario Run não é divertido. Talvez as expectativas tenham sido muito altas”.

Outro motivo de preocupação do mercado é a própria estratégia adotada pela Nintendo, que decidiu cobrar antecipadamente pelo jogo. O download é gratuito e garante o acesso às três primeiras fases. Se o usuário quiser continuar jogando com o encanador bigodudo, deve desembolsar 9,99 dólares — valor superior ao de jogos mais populares, como o Minecraft, que custa 6,99 dólares.

O modelo é diferente do aplicado em outros games, como o próprio Pokémon Go, que cobram dos usuários alguns itens especiais, mas nunca o jogo em si. 

Antes da estreia de Super Mario nos celulares, analistas estimavam receita bruta mundial de 71 milhões de dólares em seu primeiro mês (metade do que foi alcançado por Pokémon Go no mesmo período). Se não conseguir agradar aos usuários e convencê-los a pagar pelo jogo, a tarefa da Nintendo de recolher moedinhas será, certamente, muito mais difícil.