Ser Educacional capta até R$ 619,43 milhões em IPO

Foram registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) 35.395.896 ações, precificados em R$ 17,50

São Paulo – O Grupo Ser Educacional, holding controladora das Faculdades Maurício de Nassau (Uninassau) e Joaquim Nabuco, entre outras instituições de ensino, captou até R$ 619,428 milhões com a oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Os papéis foram precificadas em R$ 17,50, de acordo com o que o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, havia antecipado na semana passada, abaixo da faixa inicialmente proposta (R$ 19,50 a R$ 23,50).

Foram registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) 35.395.896 ações, equivalentes aos lotes principal (30.779.040) e suplementar (4.616.856). O preço das ações foi reduzido por conta da pressão de grandes investidores, segundo o Broadcast havia noticiado. “Os investidores institucionais pressionaram e o range caiu”, havia dito uma fonte do mercado.

Apesar disso, na avaliação de fontes de uma das maiores assets do País, o preço justo para os papéis era mais alto. “Analisamos a oferta do Grupo Ser Educacional e encontramos um preço justo de R$ 19,50”, haviam revelado. “Nossa análise foi feita por múltiplos, tomando por base EV/Ebitda. Acreditamos que esta é a única organização privada no setor de ensino superior presente em todas as capitais do Nordeste”, detalharam.

Mas a questão da localização é justamente o que preocupava outros potenciais investidores, que acabaram optando por ficar de fora da operação. “Há riscos em relação à concorrência, porque muitas empresas, inclusive as gigantes já listadas, estão de olho no Norte e no Nordeste, com apetite para aquisições e expansão significativa nestas regiões”, explicaram.

“Além disso, o Ser Educacional registrou crescimento muito acelerado ao longo dos últimos dois anos por conta de aquisições, mas estas margens não devem conseguir se sustentar”, acrescentaram. Eles disseram ainda que, apesar de a companhia ser de um setor que está em voga, a operação está saindo em um cenário completamente diferente do que havia quando as companhias já listadas foram à Bolsa. “Naquela época, não havia risco de downgrade, o governo cumpria as metas e toda a questão macro era diferente. Era outro panorama”, lembraram.

O início das negociações das ações na BM&FBovespa, sob o código “SEER3”, está previsto para 29 de outubro, com data de liquidação em 31 do mesmo mês. O grupo, fundado em 2003 por Janguiê Diniz, tem atuação no Norte e Nordeste. “Somos a maior organização privada no setor de ensino superior nas regiões Nordeste e Norte do Brasil em número de unidades e, com os alunos do Pronatec, também em número de alunos, de acordo com os dados da SERES/MEC de 2013”, informou a empresa no prospecto preliminar da operação. Em 30 de junho, a rede era composta de 23 unidades, 76 mil alunos matriculados, número que sobe para 91 mil com os do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego).