Quem entra e quem sai da Bolsa em 2017

A expectativa do mercado é que, ao menos, 20 empresas abram capital em 2017; oito companhias estão na fila para deixar de ter ações negociadas

São Paulo — Depois de um longo período de seca, as ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) devem voltar a movimentar o mercado financeiro em 2017. A aposta dos investidores é que as aberturas de capital girem mais de 10 bilhões de dólares no próximo ano.

Se em 2016, apenas uma companhia abriu o capital, a expectativa é que ao menos 20 façam o mesmo no próximo ano. Veja algumas delas:

Unidas

No final de novembro, a locadora de veículos Unidas informou que pediu aval da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para realizar o IPO. A operação, segundo a empresa, compreenderá ofertas primárias e secundárias.

Movida

A também locadora de veículos, Movida, registrou prospecto para IPO na CVM no começo de dezembro. A listagem ocorrerá no segmento Novo Mercado, que tem práticas de governança corporativa mais elevadas. De acordo com a companhia, o valor levantado será usado para aumento da frota e para o fortalecimento do capital de giro.

Hermes Pardini

Na segunda semana de dezembro, a rede de laboratórios Hermes Pardini pediu à CVM para realizar a abertura de capital. A empresa, que atua fortemente nos estados de Minas Gerais e Goiás, tem a família fundadora como sócia majoritária. Os recursos da operação, segundo a companhia, devem auxiliar nos planos de expansão por meio de aquisições ou abertura de novas unidades.

Carrefour

A operação brasileira do Carrefour deve abrir seu capital no segundo trimestre de 2017. Em julho deste ano, o presidente-executivo do grupo francês, Georges Plassat, confimou a intenção de fazer uma oferta pública inicial, mas não citou datas. Em outubro, a companhia teria contratado o Credit Suisse para liderar a operação.

XP Investimentos

De acordo com a Bloomberg, a terceira maior corretora do país estaria organizando sua estrutura para fazer o IPO no segundo semestre de 2017. Segundo fontes, os recursos captados com a operação serão usados para investimentos e para financiar o crescimento da empresa.

Bio Ritmo

A rede de academias também é uma forte candidata a estrear na Bolsa no próximo ano. No comando da empresa está o grupo Pátria, que realizou há alguns meses o único IPO de 2016 da Bolsa, da empresa de diagnósticos de imagem Alliar.

IRB Brasil Re

O IPO do ressegurador era esperado para 2016, mas o Conselho de Administração da companhia decidiu esperar para um período com melhores condições de mercado. A expectativa é que a abertura de capital seja feita no próximo ano.

Adeus, Bolsa

Apesar da melhora nas perspectivas, 2017 não será um ano só de entradas na Bolsa. Na CVM, há atualmente oito processos de Oferta Pública de Aquisição (OPA).

Uma OPA é feita quando uma companhia deseja adquirir uma determinada quantidade de seus papéis a um preço pré-determinado e em um prazo específico.

Ela pode ser realizada por diversos motivos: quando o controlador planeja mudanças na estrutura societária da empresa, quando quer aproveitar o desconto nos preços das ações para aumentar a sua participação ou quando deseja fechar o capital.

Veja abaixo a lista de empresas que devem deixar de ter ações negociadas na bolsa nos próximos meses.

Brinquedos Estrela

Unipar Carbocloro

Banco Indusval

Indústria Azulejos Bahia

Prumo Logística

Banco Paraná

Dommo Empreendimentos Imobiliários

Jereissati Telecom


Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. arthur luiz melo bezerra

    E eu escolho a empresa “Picareta do Ano” : isso mesmo, aquela que diminui o peso dos seus produtos mas mantém o mesmo tamanho da embalagem. Originária da Suíça, a grande lavanderia do mundo, que só está tomando vergonha na cara por pressão dos americanos. País que se comporta igual ao usuário de drogas, que é quem financia todo o tráfico.