Queda da TIM abre oportunidade de compra, diz HSBC

Analistas não acreditam que ameaça de suspensão do ministro das Comunicações deva se concretizar

São Paulo – A queda de mais de 7% nas ações da TIM (TIMP3) abre uma oportunidade de compra dos papéis, afirmam os analistas do HSBC em relatório de análises enviado para clientes. A recomendação para as ações é de overweight (alocação sugerida acima da média de mercado), com preço-alvo de 14 reais, um potencial de valorização de 32,2%.

A queda no pregão de ontem veio após Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, afirmar que a empresa poderia ter a venda de novos planos suspensa se não investisse na melhoria de sua rede.

“Em primeiro lugar, observamos que, embora o Ministro das Telecomunicações tenha influência considerável, é a agência reguladora Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações] a responsável pela aplicação da regulamentação no setor”, escreveram os analistas Richard Dineen, Sean Glickenhaus e Enrique Gomez Tagle no documento.

Eles lembram que não seria a primeira vez que uma medida assim poderia ser tomada, já que a Telefônica já passou por algo parecido quando teve as vendas do plano de internet banda larga Speedy interrompidas por necessidade de melhorias no serviço.

“Como a TIM e as autoridades têm grande interesse em resolver a situação atual, neste momento não prevemos um agravamento ao ponto de uma suspensão das vendas”, afirmam os analistas.